Escolas

bebendo-agua-g-20091003

 

Antes de falarmos da forma atípica da deglutição vamos entender um pouco a forma adequada desta função.

Podemos definir deglutição como o ato de engolir, isto é, o transporte do bolo alimentar ou de líquidos da cavidade oral até o estômago. A deglutição alcança a maturação aproximadamente aos 3 anos, quando passa a ser chamada deglutição adulta, e esta se caracteriza por toque de língua na papila palatina; oclusão dentária; não participação ativa dos músculos peri-orais e, ainda, movimento ondulatório da língua contra o palato.

O processo de deglutição pode ser dividido em três etapas:

1.Preparatória ou Bucal: preparação do bolo alimentar através da mastigação com objetivo de obtermos uma forma homogênea para engoli-lo. Essa fase é consciente e voluntária; pode ser controlada. Quando o bolo alimentar está pronto é posicionado sobre a língua que, em um movimento ondulatório de frente para trás, impulsiona-o  para a faringe.

2.Fase faríngea: Também é consciente mas depende de reflexos, portanto é involuntário. O bolo alimentar na faringe desencadeia uma série de reflexos como o fechamento da nasofaringe o que impede a comunicação com as fossas nasais, evitando a saída do alimento pelo nariz.

3.Fase esofágica: É inconsciente e involuntária. O bolo alimentar, através dos movimentos peristálticos, é levado ao estômago.

DEGLUTIÇÃO ATÍPICA
É uma forma inadequada da língua e outros músculos que participam do ato de deglutir, durante a fase oral, realizar essa função. Em geral, acontece por inadequação dos músculos envolvidos na execução dessa função, como alteração do tônus, mobilidade e postura.

Uma das características observadas claramente na descrição do padrão da deglutição atípica, é a anteriorização da língua, isto é, o pressionamento da língua nos dentes incisivos centrais e laterais (os dentes da frente) ocasionando, muitas vezes, alterações estruturais na arcada dentária.

O fato desta musculatura não estar com seu tônus adequado, acarreta dificuldade para vedamento labial, facilitando o desenvolvimento do hábito da respiração bucal.

Ainda um outro fator a ser observado nos problemas da deglutição atípica é que, com a alteração do tônus muscular da língua, pode aparecer desvios na produção dos fonemas /t/ /d/ /n/ /l/, pois esses fonemas tem seu ponto de articulação no mesmo local onde a língua posiciona-se no ato da deglutição. Ainda os fonemas /s/ e /z/ podem apresentar-se distorcidos.

TRATAMENTO DA DEGLUTIÇÃO ATÍPICA
Tratando-se de uma alteração na fase preparatória e, como já dissemos, esta fase é consciente e voluntária, é possível um ajuste nesta etapa.

Sendo assim, o tratamento fonoaudiológico para a deglutição atípica é reeducativo. Primeiramente,  preparamos a musculatura para a realização da função. Depois, quando os elementos musculares envolvidos estão aptos, é que se faz a adequação dos movimentos da  deglutição.