Blog

movimento

As crianças se movimentam desde que nascem, adquirindo cada vez mais o controle sobre seu próprio corpo e se apropriando cada vez mais possibilidades de interação com o mundo. Rolam, engatinham, caminham, correm, saltam, manuseiam objetos, brincam sozinhas ou em grupo, com objetos ou brinquedos.  Ao movimentarem-se as crianças expressam sentimentos, emoções e pensamentos, ampliando as possibilidades do uso significativo de gestos e posturas corporais.

Quando observarmos bebês, por exemplo, o que se mexe descontroladamente ou o que faz caretas provocadas por desconfortos, terá na mãe e nos adultos responsáveis por seu cuidado parceiros fundamentais para a descoberta dos significados desses movimentos. Aos poucos, esses adultos saberão que determinado torcer de corpo significa que o bebê está por exemplo, com cólica, ou que determinado choro pode ser de fome. Assim, a primeira função do ato motor está ligada à expressão, permitindo que desejos, estados íntimos e necessidades se manifestem.

O movimento humano, portanto, é mais do que simples deslocamento do corpo no espaço: constitui-se em uma linguagem que permite às crianças agirem sobre o meio físico e atuarem sobre o ambiente humano, experimentando o seu corpo das mais diversas maneiras.

É muito comum em diversas situações os adultos exigirem da criança sua restrição corporal, em longos momentos de espera – em fila ou sentada – em que a criança deve ficar sentada, sem se mover e em qualquer deslocamento, gesto ou mudança de posição pode ser visto como desordem ou indisciplina. Essas práticas, podem até ser eficazes do ponto de vista da “ordem”, porém, por um curto tempo dependendo da idade, pois quanto maior for o tempo de limitação dos movimentos podem limitar as possibilidades de expressão da criança e limitam suas iniciativas próprias, ao enquadrar os gestos e deslocamentos a modelos predeterminados ou a momentos específicos.

Por isso é importante lembrar que o movimento para criança pequena significa muito mais do que mexer partes do corpo ou deslocar-se no espaço. A criança se expressa e se comunica por meio de gestos e das mímicas faciais e interage utilizando fortemente o apoio do corpo. Oportunize momentos em que a criança aproprie-se do próprio corpo em lugares amplos e seguros, estes momentos trarão uma série de benefícios além da diversão garantida com os pequenos.

Fonte:
Laluna Albuquerque – Pedagoga e Psicomotricista