Blog

Mother feeding baby

Que preguiça de mastigar…

 Tem criança que dá um trabalhão pra comer. Não estamos falando dos que odeiam verduras e legumes, não. Desta vez as crianças em questão são aquelas que, na verdade, comem de tudo, contanto que esteja bem molinho. Elas são preguiçosas e só querem saber de papinhas.

Haja imaginação para cozinhar para elas: mingau de morango, sopa de espinafre, purê de mandioquinha. Tudo tem que passar pela peneira ou pelo liquidificador. Afinal, eles odeiam mastigar.

Existem basicamente três tipos de papas. As mais comuns são as salgadas, uma espécie de sopa espessa que pode legar verduras, legumes e carnes. Outra que agrada muito os pequenos é a feita com frutas amassadas. A terceira, não muito comum no Brasil, é feita a base de cereais.

Mas será que essas crianças não se prejudicam comendo somente papinhas? É claro que é mais cômodo para eles tomar uma vitamina na mamadeira assistindo televisão do que sentar a mesa e comer um prato de arroz, feijão e bife.

O problema é que tudo tem sua fase e nenhuma delas deve ser ignorada. Quando chega a hora de comer alimentos mais sólidos, a criança tem que vencer a preguiça e começar a exercitar a mastigação, visando um bom desenvolvimento das estruturas que mais tarde serão responsáveis pela fala.

 

As fases

Até os seis meses de idade é recomendado que o bebê se alimente exclusivamente de leite materno. Depois disso, ele já pode começar a ingerir alimentos complementares com um pouco mais de consistência. É é aí que entram as papas.

A papa salgada, ao ser oferecida pela primeira vez ao bebê (entre 4 e 6 meses), deve ser passada pela peneira e NUNCA batida no liquidificador.  Mesmo que a criança “cuspa” a comida, insista! Isto não quer dizer que ela não esteja gostando, é só um sinal de que ela está aprendendo a comer.

Depois de mais ou menos 30 a 40 dias, o bebê já estará acostumado à consistência da sopa, que deve então passar a ser bem amassada com o garfo. Ao perceber que o bebê já se acostumou com a sopa bem amassada, passe a amassá-la cada vez menos, para que o ele vá se acostumando com os pedacinhos e vá estimulando os movimentos de mastigação.

Seguindo as orientações do pediatra, introduza alimentos tipo feijão, arroz, lentilha, macarrãozinho, etc., na sopa para que o bebê vá mastigado e, entre 12 e 14 meses, possa participar das refeições normais da casa

Ao  aparecerem os primeiros dentinhos,  por volta dos 7 meses, ofereça grandes cascas de pão francês amanhecido (ou bife) para a criança ficar chupando: pequenos pedaços cairão entre a bochecha e o dente e forçarão movimentos de língua para retirá-los, estes movimentos são importantes para a mastigação;

Quando o bebê estiver acostumado aos pedacinhos da sopa, passe a oferecer algumas frutas menos facilitadas, como a banana, a pera, a maçã; as frutas que precisarem ser raspadas ou amassadas, que o sejam bem levemente.

Não esqueça de fazer elogios a cada alimento que for acrescentado ao cardápio da criança e mostrar que cada vez ela está comendo mais coisas gostosas e ficando mais saudável.

 

Orientações

0 a 3 anos A alimentação na primeira infância é muito importante. Siga o ritmo do bebê e vá seguindo cada fase, acrescentando novos alimentos. A fase de transição entre o sólido e o líquido requer muito cuidado e atenção.

3 a 6 anos O exemplo dos pais a mesa é fundamental. Se a criança ver que seus pais não comem verduras e saladas ele vai achar que também não precisa desses alimentos.

6 a 9 anos Nessa idade a criança pode ficar mais enjoada para comer. Por isso, é importante que ela aprenda a comer de tudo desde pequena, para não dar trabalho mais tarde.

Fonte:
Revista Crescer
Guia do Bebê